Novabase regressa à lista do BCP

A Novabase voltou a integrar a lista das empresas nacionais com maior potencial de valorização, realizada pelo Millennium bcp investimento. Com um “upside” de 32%, a tecnológica substitui a Cofina na quinta posição do “ranking” que continua a ser liderado pela Sonae Indústria.

O banco de investimento atribui um preço-alvo de 4,25 euros a cada acção da Novabase [Cot]. Valor que face à cotação do fecho de sexta-feira passada, de 3,60 euros, representa um potencial de valorização de 32%.

Pela segunda semana consecutiva, a liderança da lista do Millennium bcpi volta a ser ocupada pela Sonae Indústria [Cot] com um preço-alvo de 12,40 euros. A empresa tem assim um “upside” de 57%, calculado a partir da cotação de 16 de Dezembro (7,92 euros).

Segue-se a Portucel [Cot], cujas acções têm uma margem de progressão a longo prazo de 52% face a um “target” estimado em 3,65 euros. A Semapa [Cot] surge na terceira posição da lista, com um potencial de subida de 45% e logo depois está a Sonaecom [Cot]

About João Monge Ferreira

Desejo que cada uma das pessoas empreendedoras que estão dentro de empregos desalinhados com os seus talentos, conquistem a liberdade para abrirem seus próprios negócios.

Posted on 2007/11/20, in Acções, Acções Nacionais, Cartas de Guerra, Diário de Guerra and tagged , , , , , . Bookmark the permalink. 1 Comentário.

  1. Hermenegildo Ferreira

    EMPRESAS

    Publicado 11 Maio 2007 10:39

    Banco constituído arguido
    “Lesado” do BCP exige indemnização de 115 milhões de euros
    Cerca de 100 clientes que se sentem lesados pelo BCP por terem comprado acções do banco nos aumentos de capital de 2000 e 2001 já avançaram com processos em tribunal. O banco foi constituído arguido pelo Ministério Público e um dos lesados exige uma indemnização de 115 milhões de euros.

    Jornal de Negócios Online

    negocios@mediafin.pt

    Cerca de 100 clientes que se sentem lesados pelo BCP por terem comprado acções do banco nos aumentos de capital de 2000 e 2001 já avançaram com processos em tribunal. O banco foi constituído arguido pelo Ministério Público e um dos lesados exige uma indemnização de 115 milhões de euros.

    Segundo noticia hoje o “Semanário Económico”, um dos clientes que se considera lesado, Hermenegildo Ferreira, do Porto, exige do banco uma indemnização acima de 115 milhões de euros.

    O Ministério Público decidiu constituir o BCP como arguido, a 24 de Outubro, depois deste cliente de Private Banking, ter pedido a indemnização por danos financeiros e morais.

    De acordo com a mesma fonte, este cliente apresentou uma queixa-crime contra o banco e o administrador Alípio Dias, depois de apresentar uma petição ao Parlamento Europeu, sendo que o Ministério Público só abriu o processo “por pressão de Bruxelas”.

    Hermenegildo Ferreira disse ao jornal que “ficaram provados os factos criminais de relevância social, nomeadamente: branqueamento de capitais, falsificação de documentos, subtracção de verbas da conta pessoal nos montantes de 1,027 milhões de euros e de 449 mil euros, fraude fiscal qualificada, burla tributária de grande valor patrimonial, abuso de confiança fiscal e pena por desobediência” à determinação do juiz.
    hermenegildof@sapo.pt

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: